PÓS PARTO

O PÓS-PARTO. A ALEGRIA, AS ANGÚSTIAS E O  APRENDIZADO.

O pós parto é o período de cerca de quarenta e cinco dias após o nascimento do bebê e que se apresenta com características altamente relevantes para as pessoas envolvidas  em especial para a puérpera. Durante os meses de gestação, a mulher foi se adaptando às transformações internas e externas que ocorreram lenta e progressivamente. Com o nascimento do bebê, novas mudanças chegam e tudo muda em sua vida. Ocorre uma mistura profunda de sentimentos: alívio, euforia e em geral muita felicidade pelo nascimento do tão desejado e esperado o bebê. Entretanto, em alguns casos não vem somente sentimentos bons, podem surgir sentimentos de frustração com o filho, por ser diferente do idealizado, seja pelo sexo ou pela aparência física ou mesmo por ter nascido com algum problema ou prematuro. Aquele ser tão pequeno e indefeso, totalmente dependente e ainda desconhecido traz aos pais um sentimento de  compromisso assumido para toda a vida e os torna apreensivos, inseguros e assustados. Muitos se perguntam: será que darei conta?

Para a mamãe primeira ansiedade normalmente é se terá leite ou mesmo se o bebê aceitará a amamentação. A permanência no hospital é muitas vezes fator de tranquilização, no sentido de que proporciona à puérpera e seu filho toda a assistência e cuidados de que necessitam, mas, fatalmente o dia de ir para casa chegará. O medo de assumir sozinha as responsabilidades para com o bebê pode aumentar a insegurança materna.

 

Os primeiros quinze dias do pós-parto geralmente são os piores. As mamas ficam inchadas e doloridas. Em muitos casos estas dores associam-se as dores da cesárea ou mesmo no  parto normal por causa de uma possível episiotomia com os pontos no períneo e ainda nos dois casos as cólicas da involução uterina que pioram mais quando o bebê está mamando. Soma-se a tudo isto  o estresse físico e emocional do trabalho do parto, a perda do ninho protetor que era o hospital, o não reconhecimento do próprio corpo, os deveres que a esperam sem saber se dará conta, sua vida pessoal e profissional. este quadro pode levar ainda ao surgimento uma tristeza em graus variados ou da depressão pós-parto. Neste momento, torna-se fundamentalmente necessário o apoio familiar e de amigos, que auxiliem e estimulem a puérpera a exercer suas atividades maternas, revezando-as com ela, para que também possa descansar.

O confronto com o corpo é difícil de ser superado. A abstinência sexual, a sensação de perda da sensualidade e do poder de sedução leva, muitas vezes, a suspeitar da fidelidade do companheiro.

Compartilhar o bebê com outras pessoas, inclusive com o próprio pai da criança, pode ser visto e aceito de duas formas. A primeira uma sensação de segurança, de apoio e divisão de tarefas diminuindo o cansaço físico, de compartilhamento e a segunda a nada agradável sensação de insegurança, medo de que o bebê vá gostar mais dele do que dela ou simplesmente ciúmes.

 O afastamento inevitável do obstetra, da figura obstetra que de alguma forma a protegia é muito significativa, pois sob seus cuidados apoiou-a e acalmou-a nas horas difíceis, numa relação de extrema confiança que lhe dava segurança e proteção e agora não faz mais parte desta relação da mesma forma ou intensidade.

Muitas mulheres sentem-se desapontadas com seus companheiros, por acharem que não estão recebendo o apoio e carinho esperados, como também, por senti-los indiferentes ao bebê. Muitos pais apresentam dificuldade em reassumir a vida sexual com medo de machucar a mulher ou por perceber o quanto se sente cansada e isto pode gerar sentimentos negativos nas mães por pensarem ser por vários outros motivos.

PORTANTO, AO CONTRÁRIO DO QUE MUITOS PENSAM O PÓS PARTO É UM PERÍODO MARCADO POR SENTIMENTOS DE ENORME ALEGRIA, GRANDE FELICIDADE, MAS, CERTAMENTE TAMBÉM ENVOLVE MUITA ATENÇÃO, APREENSÃO, CONFLITOS, DORES, CANSAÇO E ATÉ MESMO SOFRIMENTO PSÍQUICO A MUITOS PAIS.

 

 

COISAS QUE VOCÊ PRECISA SABER NO PÓS PARTO

Pronto! O bebê chegou e com ele o amor incondicional, a emoção de ser mãe... de ser pai. Entretanto,  depois que o bebê nasce a mulher não fica em total estado de graça. O corpo ainda fica inchado por aproximadamente 15 dias, o sangramento pode persistir por até 30 dias, a barriga ainda está grande e amamentar não é tão simples

.

ATÉ QUANDO PERSITE O SANGRAMENTO?

Depois do parto, é normal ter sangramento durante até quatro a cinco semanas e, em geral, maior parto normal do que em cesarianas. É a forma do corpo está eliminar o material que revestia o útero durante a gravidez e o sangramento pode durar até 30 dias, mas são nos primeiros 10 que geralmente é maior. Sangramentos intensos por mais de 10 dias e ou odor fétido no mesmo é motivo de procurar atendimento médico imediatamente.

É NORMAL SENTIR UM POUCO CANSADA

Cuidar de um recém-nascido é extremamente cansativo e o casal só descobrirá isso na prática. Ter alguém para ajuda-la será muito bom. Os pais contribuem muito, mas saem para trabalhar, afinal não contam com licença maternidade e muitas vezes chegam exaustos do trabalho. Muitas avós, tias, vizinhas e amigas prestam apoio inestimável. programe-se e aceite estes apoios com carinho, serão muito importantes para você. Amor é para ser dividido e dividindo-se ele sempre se multiplicará, principalmente entre familiares e amigos. Não tenha ciúmes de seu bebê.

FICAR INCHADA PODE SER NORMAL

O corpo fica inchado no pós parto, principalmente os pés. Isso continua até aproximadamente 15 dias pó parto e muitas vezes aumenta neste período, principalmente para quem fez cesárea ou fica muito tempo na cama.

AS DORES

O útero está voltando ao tamanho normal e esse processo é estimulado pela amamentação. Conforme o bebê suga estimula a produção de um hormônio chamado ocitocina que por suas vez estimula as contrações uterinas que normalmente causam cólicas em graus variados e que serão responsáveis pela volta do mesmo ao tamanho pré gravídico.

A ALIMENTAÇÃO

No caso de parto normal não há restrição alimentar especifica. Deve-se alimentar regularmente, alimentos leves são mais bem vindos, hidratar bastante proporciona uma melhor amamentação, estimula os rins a eliminar elementos retidos durante a gestação. ingestão de pouco sal é recomendável e permitirá uma diminuição mais rápida do inchaço.

No caso das cesarianas deve fazer uma alimentação mais leve, evitar gorduras e alimentos que possam estimular muitos gases ou vômitos. Em relação a hidratação e ao consumo de sal a recomendação para os dois casos é a mesma.

É uma boa recomendação manter a vitamina usada no pré natal por 30 dias após o parto.

Este não é o momento para começar restrição alimentar visando perda de peso. Isto pode comprometer sua recuperação e a qualidade da amamentação.

Procure um nutricionista.

ABSTINENCIA SEXUAL

Recomenda-se aproximadamente 45 dias de resguardo. Geralmente as mulheres gostariam na verdade que fosse até muito mais. O medo de doer, o cansaço, o medo de uma nova gravidez, a transformação corporal ainda incompleta são motivos mais do que suficientes e justificam tal fato.  Este tempo de 45 dias é importante para a recuperação do organismo e para evitar infecções. Mais  importante do que a recomendação médica é respeitar o tempo da mulher. O bom e equilibrado relacionamento do casal propiciará uma transição tranquila neste sentido.

 

A AMAMENTAÇÃO

Na verdade em muitos casos amamentar dói, machuca e é difícil. É necessário aprender as posições adequadas e a pega correta. Amamentar necessita paciência, local adequado, acordar em meio a madrugada e em muitos casos várias vezes na mesma noite. Muitas mulheres não conseguem amamentar tanto quanto gostariam. O cansaço, leite insuficiente, empedramentos, mastites, fissuras ou rachaduras com consequente dor são causas muito comuns.  O importante é ter paciência saber que é normal ter dificuldades no começo e buscar ajuda especializada se isto ocorrer.

 

A ATIVIDADE FÍSICA.  A VAIDADE & A BARRIGA

 O tempo de recuperação da musculatura abdominal varia de mulher para mulher, depende do fortalecimento muscular que esta tinha antes da gestação. Se praticava atividades físicas habitualmente retornará mais rapidamente, mas em qualquer caso deve-se iniciar exercícios localizados após 30 dias para o parto normal e 60 dias para o pós cesariana. Lembrar que o útero também não volta imediatamente ao tamanho normal. Ele leva aproximadamente 15 dias para retornar ao tamanho pélvico . Você pode usar cinta, que traz resultados estéticos mais rápidos e no caso de cesarianas um maior conforto pós operatório. Ela ajuda a colocar a musculatura no lugar.

DEPRESSÃO

Caso se sinta um pouco triste ou deprimida não precisa se sentir culpada ou envergonhada por isso. O pós-parto apresenta-se como uma verdadeira transformação física e hormonal e esta transformação hormonal associada aos sentimentos de preocupação e cansaço geralmente afetam a imensa maioria das mamães. Caso este sentimento se torna muito intenso procure seu obstetra imediatamente.

AS VISITAS

Adoramos saber que somos amados e ter as pessoas que amamos ao nosso lado. Entretanto, depois de tanto esforço e stress receber as pessoas na maternidade pode não ser tão maravilhoso. Talvez você precise é descansar. Veja bem e pense quem são as pessoais imprescindíveis neste momento. Colocar no Facebook e anunciar nos grupos de whatsApp pode não ser uma grande ideia. As mensagens não pararão de chegar, os telefonemas idem e as visitas indesejadas para aquele momento também. Procure planejar bem, principalmente em casa pois o cansaço pode ser grande. Só de pensar em levantar para abrir a porta já pode não ser uma boa sensação e  quando a campainha tocar pode dar vontade de se esconder. Isso sem falar quando as visitas não estão com pressa de irem embora.... Planeje tudo e não tenha vergonha de ser sincera quando se sentir muito cansada. Com educação e carinho todos que realmente te amam entenderão.

PLANEJAMENTO FAMILIAR

Após quarenta dias você deverá fazer uma avaliação pós parto. Retirar duvidas e caso ainda não tenha iniciado ou decidido como evitar uma nova gravidez é o momento de conversar com seu obstetra e fazer a melhor escolha para o momento e isto estará diretamente ligado ao fato de estar amamentando ou não.

 

ORIENTAÇÕES ADEQUADAS & PALPITES

Cuidado com os palpites. Muitas pessoas irão te dar conselhos sobre de como cuidar de você, da ferida cirúrgica da cesariana ou do parto normal. receitarão banhos de assento, indicarão pomadas, medicações, creme para as mamas, chás, roupas. Inclusive gente que não tem a mínima ideia real do que fazer nestas situações. Certifique-se da veracidade destas informações com pessoas qualificadas como nutricionistas, enfermeiras e médicos, preferencialmente no pré natal e no hospital no momento da alta