CIRURGIAS GINECOLÓGICAS 

  MIOMAS UTERINOS

   O Mioma é um tumor não canceroso que pode se desenvolver dentro ou fora do útero, tambem pode ser chamado de fibroma. Podem aparecer em formatos múltiplos ou como um mioma único.Os sintomas mais comuns de mioma são: sangramentos leves fora do periodo menstrual, ou ciclos menstruais mais intensos e longos; dores nas pernas e pelvis; dores durante o ato sexual; dificuldade para engravidar ou abortos espontâneos.

  PÓLIPOS ENDOMETRIAIS

 O pólipo endometrial é uma condição ginecológica que surge, na maioria dos casos, em mulheres multíparas, na perimenopausa (ao redor dos 40 e 50 anos), aumentando sua a prevalência progressivamente com a idade, rara antes da menarca e relativamente frequentes após a menopausa.A presença dos pólipos endometriais pode ser associada a sintomas clínicos como sangramento vaginal anormal e infertilidade. Ainda que a maioria dessas lesões sejam benignas, podem sinalizar o surgimento de condições pré-malignas e malignas, este quadro sugere que investigações histológicas sejam realizadas a fim de excluir o risco de carcinomas endometriais.


   ENDOMETRIOSE

  A mulher com endometriose apresenta fragmentos do endométrio fora do útero (endométrio é a parte interna do útero, responsável pela menstruação). Neste caso, o local mais comum de implantação dos fragmentos é a região pélvica, onde ficam aderidos a uma ou mais estruturas - tubas uterinas, ovários, bexiga, intestino e outros órgãos.

 

  ADENOMIOSE

 É definida como uma patologia uterina, na qual se encontram presentes glândulas e estroma endometrial no interior do miométrio, podendo resultar ou não na hipertrofia das fibras musculares uterinas, com hipertrofia do órgão. É mais frequente em mulheres que estão entre a faixa etária de 35 a 50 anos,pois as mulheres apresentam estrógeno em excesso nesse período da vida, depois dos 50 anos, em consequência da menopausa, as mulheres não produzem tanto estrógeno. 

  CISTOS DE OVÁRIO

Os ovários são dois órgãos que estão situados um de cada lado do útero. Eles produzem hormônios femininos (estrogênio, progesterona, outros) e os óvulos. Tumorações chamadas cistos podem ocorrer nos ovários. Cistos são saculações preenchidas com material líquido ou semi-sólido.São freqüentemente encontrados em mulheres em idade reprodutiva. As mulheres mais propensas a formação de cistos são aquelas com idade entre os 20 e 35 anos, as portadoras de endometriose ou com doença inflamatória pélvica.

  ROTURA PERINEAL

Rotura” é um termo técnico utilizado para rompimentos. Logo, a rotura perineal é a ruptura do períneo causada, na maioria das vezes, devido ao parto.No caso feminino, o períneo se estende desde o osso presente acima do clitóris até às proximidades do ânus, abaixo do cóccix. O períneo é composto por diferentes músculos e nervos.Há diferentes graus de ruptura e as precauções e tratamentos podem ser prescritos por um profissional especialista do assunto.

  INCONTINÊNCIA URINÁRIA DE ESFORÇO

A incontinência urinária é a perda involuntária de urina. Na mulher a incontinência urinária pode ocorrer durante esforços maiores como tossir ou espirrar, caminhar ou mesmo em repouso. É a chamada incontinência urinária de esforço, decorrente de um enfraquecimento dos ligamentos e músculos do períneo, ou ainda por partos vaginais mal assitidos e cirurgias vaginais. Outra causa e a contração involuntária do músculo da bexiga resultante de doenças neurológicas ou sem causa definida. É a chamada bexiga hiperativa.

  ESTERILIZAÇÃO OU LIGADURA DE TROMPAS

A laqueadura é uma opção entre mulheres que não desejam mais ter filhos e não querem correr o risco de falha de algum método contraceptivo. Trata-se de uma cirurgia, feita nas trompas uterinas e completamente eficaz, podendo ser mantida durante toda a vida da mulher sem trazer riscos evidentes a saúde feminina.A cirurgia pode ser solicitada por mulheres com mais de 25 anos ou que já possuem mais de dois filhos e não desejam mais engravidar. 

   CISTOS HEMORRÁGICOS

Cisto hemorrágico é uma bolsa cheia de líquido presente no ovário de algumas mulheres, que pode apresentar sangramento das suas próprias paredes, para o seu interior, enchendo-se de sangue ou jorrando para o ovário.

Os cistos hemorrágicos aparecem e desaparecem naturalmente ao longo dos ciclos menstruais, e geralmente não apresentam sintomas nem necessitam de tratamento. Porém, nos casos mais graves pode ser necessário cirurgia.

O cisto hemorrágico não impede a gravidez nem altera a fertilidade da mulher, mas pode dificultar a gravidez devido a ovulação comprometida.

   ABSCESSOS PÉLVICOS

 Uma mulher desenvolve doença inflamatória pélvica quando determinadas bactérias (germes) transitam da vagina e infectam os órgãos reprodutores. Há vários tipos de bactérias que podem provocar a DIP. Mas a maior parte dos casos de DIP são provocados pelas bactérias que provocam duas das DSTS mais comuns — a gonorreia e a clamídia. Uma infecção pode levar entre alguns dias e alguns meses a transitar da vagina para os órgãos reprodutores. É possível contrair a doença inflamatória pélvica sem ter qualquer DST. As bactérias normalmente encontradas na vagina e no cérvix podem, por vezes, provocar a DIP. Ninguém sabe a razão pela qual isso acontece.